Carga e descarga de materiais de construção: evite erros

Saiba de que forma os erros na movimentação e na carga e descarga de materiais de construção podem resultar em desperdício e prejuízo financeiro!


O transporte de materiais de construção exige alguns cuidados para garantir que não sofram danos durante sua movimentação, até a chegada do veículo ao destino final. Confira a seguir, quais procedimentos devem se seguidos para movimentar materiais de construção de forma correta, evitando prejuízos para a sua empresa!

Solicite Orçamento Metaro

Como transportar materiais de construção e fazer sua carga e descarga com segurança

Assegurar a integridade física de mercadorias durante o processo de carga e descarga, assim como no decorrer do seu transporte, também é essencial para evitar prejuízos, e na movimentação de materiais de construção não é diferente. 

É necessário atentar para os diferentes materiais – cimento, areia, brita, cal, argamassa, tijolos, blocos de construção, cerâmica, louças, peças de revestimento, esquadrias, metais, tintas e outros -, pois todos precisam de algum tipo de cuidado para evitar que os produtos quebrem, vazem ou se misturem.

Confira 6 cuidados essenciais:

1 – Proteção contra o sol e a chuva

O transporte de materiais de construção deve ser feito sempre em veículo fechado para que fiquem protegidos do sol e da chuva. Também é importante que o caminhão que fará a entrega esteja em boas condições, especialmente em períodos chuvosos, para garantir que não ocorram infiltrações.

2 – Prevenção do “suor de carga”

Outro fator que pode danificar os produtos que estão sendo movimentados é a umidade, conhecida como “suor de carga”, que ocorre em função de mudanças bruscas de temperatura no interior do veículo. Esse tipo de problema costuma acontecer quando os produtos são transportados entre regiões com climas diferentes. Para evitar o suor de carga, é preciso fazer uso de produtos dessecantes (substâncias químicas capazes de absorver a umidade).

3 – Atenção ao empilhamento máximo permitido

É muito importante prestar atenção ao empilhamento máximo permitido para os materiais. Essa recomendação, assim como orientações sobre como empilhar cada tipo de material, costumam ser descritas na embalagem do fabricante dos produtos.

Exemplo: sacos de cimento ou gesso devem ter pilhas com, no máximo, 10 sacos; para argamassa, 20 sacos; já para sacos de cal, a recomendação é empilhar até 15 sacos no máximo e assim por diante.

4 – Cuidados no acondicionamento dos materiais

Do mesmo modo, é necessário estar atento na hora de acondicionar os materiais de construção. Por exemplo:

– colocar materiais mais leves e frágeis nas caixas de cima;

– deixar espaço entre as caixas, para que elas não se choquem, pois isso pode causar avarias nos materiais;

– reforçar as embalagens de fábrica dos materiais mais frágeis, como as peças de revestimento, fazendo uso de isopor, sacos de ar ou plástico bolha.

5 – Sinalização de embalagens com produtos sensíveis

Sinalizar bem as caixas que contêm produtos frágeis é fundamental para evitar danos. Os materiais de construção são resistentes em sua maioria, mas, em uma carga mista, é muito importante destacar a existência de produtos frágeis, sinalizando de forma clara quais são eles, para que recebam um cuidado diferenciado.

Assegure-se de que todas as caixas estejam devidamente marcadas ou adesivadas com a indicação de “frágil”. Desse modo, toda equipe envolvida no processo de transporte, carga e descarga dos materiais de construção poderá adotar os cuidados necessários para preservar a integridade dos produtos durante o seu manuseio.

6 – Otimização do processo de carga e descarga das mercadorias

Uma forma de melhorar a etapa de carga e descarga de mercadorias, garantindo agilidade e segurança tanto para os operadores quanto para os produtos, é fazer uso de equipamentos ergonômicos e logísticos, como, por exemplo, a doca móvel.

A doca móvel de carga Metaro é um equipamento que facilita muito a operação de carga e descarga. Ela foi projetada para uso em locais onde não há doca convencional, permitindo, desse modo, a movimentação dos pallets de carga entre o nível do piso do armazém e a carroceria do caminhão, com a utilização de uma transpaleteira manual.

O equipamento possui rodas próprias e pode ser utilizado tanto dentro quanto fora do armazém, possibilitando operações com materiais não paletizados, como pneus e bobinas, entre outros. Ela também pode ser usada como um elevador entre pavimentos com altura de até 1,7 metro. Além disso, o uso de uma doca móvel de carga representa uma redução de, pelo menos, 50% no valor do investimento, pois dispensa o uso de empilhadeira.

Dica final: não esqueça de sempre conferir com muita atenção as mercadorias que estão sendo embarcadas! 

Este conteúdo foi útil para você? Aproveite que está aqui e confira as soluções Metaro que podem contribuir para melhorar os resultados do seu negócio.